O abandono dos animais sempre traz consequências emocionais e, em alguns casos,
físicas a eles. Para que esta prática diminua é necessário instruir, educar a população
e fazer cumprir a lei para os responsáveis pelo abandono. Os animais não são objetos
que jogamos no lixo quando não os queremos mais, eles têm sede, fome, dor e medo.
Cada animal demonstra as emoções que deixaram marcas profundas em sua vida as
quais foram causadas pelos traumas sofridos e, em muitos casos, os tutores os
abandonam novamente após adotá-los ao invés de compreenderem suas dores.
O abandono afeta o comportamento, a confiança e pode encurtar a vida dos animais
que são colocados em risco nas ruas, gerando brigas entre eles, maus tratos por
pessoas mal intencionadas, doenças e reprodução sem controle.
Os traumas mais recorrentes nos casos de abandonos são: medos, ansiedade, alergias,
desconfiança, agressividade, estresse, isolamento, fugas, entre tantas outras que
observamos nos tratamentos.
Como podemos identificar os traumas que os seres humanos causam ao abandonar um
anjinho?
Uma das técnicas que pode detectar as dores emocionais e físicas decorrentes do
abandono sofrido anteriormente é a Comunicação Intuitiva, que nos permite descobrir
mais a fundo como o animal se sente e as marcas que traz em seu íntimo. Como opção
de tratamento complementar podemos utilizar a técnica Reiki para pets que servirá para
energizarmos seus chacras (pontos de energia) que estão desequilibrados e trazer uma
melhoria na sua qualidade de vida em geral, diminuindo a agressividade, aumentando
sua imunidade e prevenindo doenças.
Todo e qualquer abandono gera traumas que precisam ser identificados e tratados para
que os animais vivam em equilíbrio e harmonia com seus tutores no seu novo ambiente.
Alguns exemplos de comportamentos que podem ser acarretados pelos traumas de
abandonos:

  • Aqueles que sofreram maus tratos durante o período de abandono latirão bastante
    para afastarem as pessoas e se sentirem protegidos
  • Eles morderão, se for preciso, para não serem tocados por estranhos que representem
    perigo em potencial;
  • O abandono antes do desmame traz sequelas como, por exemplo, comer tudo o que
    aparece na frente para suprir suas carências; morder objetos, entre outras, oriundas da
    falta de alimentação materna pelo período correto;
  • Desconfiança de nova aproximação humana para adotá-los.

Após a adoção de um animal abandonado as melhoras dicas para melhorar sua
qualidade de vida são: muito amor, carinho, compreensão e em contrapartida seus
tutores receberão gratidão eterna, fidelidade, proteção.
As pessoas que abandonam um animal não tem noção do grande mal que fazem a estes
anjinhos. Eles amam incondicionalmente seus tutores, sem julgamentos, sem
cobranças e o que pedem em troca é só amor, cuidados diários e carinho. São pequenas
atitudes para quem está do nosso lado em todos os momentos de nossas vidas, sejam
eles bons ou ruins.
Os animais não podem ser descartados como se não tivessem sentimentos. Ao adotar
ou comprar um animal você precisa estar consciente que ele lhe trará muitas alegrias,
mas, também demandará cuidados, trará custos e precisará de atenção e, sobretudo,
muita paciência, principalmente se for um filhote. Se porventura, isto não for possível,
seja responsável e encontre um lugar e pessoas que possam suprir as suas
necessidades e não os abandonem de forma cruel. Abandonar é crime !!!
CASO BEETHOVEN
Para ilustrar os traumas de abandono, vou contar o caso do meu cachorro Beethoven.
O Bebê (apelido carinhoso) foi acorrentado numa chácara, sem água, sem comida, sob
chuvas, trovões, tempestades. Este tipo de abandono cruel foi feito para que ele não
sobrevivesse e, infelizmente, conheço outros casos semelhantes ocorridos em áreas
rurais.
Para a felicidade dele um senhor bondoso que vivia ao lado desta chácara conseguiu
salvá-lo e o trouxe para a cidade, permitindo desta forma alguma chance dele
sobreviver.
Ele se tornou um cão comunitário no meu bairro durante o período de busca de um lar
definitivo para ele.
Como se trata de um cachorro de porte médio para grande (mestiço de pitbull) e com
vários traumas, ele precisava de muita ajuda para superar suas dores do abandono. Ele
dormia numa casa abandonada e nos dias de chuva, os usuários de droga que se
abrigavam no local à noite, o enxotavam com agressões físicas.
Eu o via perambulando pelo bairro diariamente. Isto durou em torno de 15 dias. Até este
período eu desconhecia completamente sua trajetória de vida.
Um dia fazendo Reiki à distância para meu gatinho que morava num sítio, e que estava
partindo por problemas de saúde, me lembrei do cachorro que vagava pelas ruas e falei
para uma amiga que se meu gatinho partisse eu iria adotá-lo (tarefa nada fácil tendo
uma cachorra de porte médio, territorialista em casa, rs).
Pouco tempo depois desta decisão recebi a notícia que meu gatinho havia partido (a
técnica Reiki presencial ou à distância auxilia a diminuir as dores e sofrimentos neste
processo de partida).
No dia seguinte fiz a Comunicação Intuitiva Animal com o Beethoven e com minha
cachorra Tchuka para que eu explicasse a situação e ambos se aceitassem e fizessem
companhia um ao outro.

Decisão tomada, segui em frente na adaptação de ambos. O processo de recuperação
dele está sendo longo e dolorido demandando muita paciência e Reiki para equilibrá-lo.
Na primeira semana o estresse acumulado por tudo que sofreu foi extravasado com a
destruição de cinco caminhas (a última de lona de caminhão). Ele precisava colocar
para fora toda a dor emocional que guardava pelos traumas vividos.
Ao menor sinal de chuva ele tremia a ponto de chacoalhar todo seu corpo
desesperadamente, de medo. Com a Comunicação descobri que as lembranças do
período em que ficou acorrentado lhe causaram muitos traumas.
O simples fato de eu pegar uma vassoura era motivo de pânico. Isto foi gerado porque
os drogados batiam nele durante a noite, o que foi confirmado posteriormente pelos
vizinhos da casa onde se abrigava.
Como a maioria dos traumas que ele sofreu foram ocasionados por homens, a figura
masculina não lhe agrada muito e é bastante desconfiado antes de deixar alguém deste
sexo se aproximar dele.
O processo de recuperação dele é lento e gradual, mas as conquistas observadas desde
a adoção até hoje são nítidas. Agora ele é um cachorro doce, carinhoso, brincalhão,
amoroso, sem nenhuma tendência para agressividade; tem um lindo e profundo olhar
que chama a atenção de todos que o conhecem e segue paciente com sua irmã Tchuka
que também daria uma boa história de vários abandonos sofridos.
Sou privilegiada por tê-los do meu lado, são meus companheiros de vida, fazem parte
da minha família. O amor entre nós é incondicional. Somos muito felizes juntos e sou
muito grata pela presença deles.

BEETHOVEN
(Meu anjinho mestiço de Pitbull resgatado de abandono

Gratidão a todos os tutores e seus anjinhos,
Simone Hasenauer (www.petterapias.com.br)
Terapeuta Animal (Reiki, Fitoenergética, Comunicação Intuitiva Animal)
Terapeuta Holística (atendimento aos tutores com Reiki, Fitoenergética)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Instagram
WhatsApp chat