Intoxicação em Pitbulls e Rottweilers
O envenenamento pode ser tanto acidental como intencional, o risco de óbito esta presente
em ambos os casos.
Nos casos de envenenamento intencional, a pessoa geralmente usa algum tipo de veneno
misturado com o alimento para o animal ingerir, podendo vir a óbito. Independente dos
motivos que possam levar a isso, essa prática é crime no Brasil. O veneno de rato, conhecido
popularmente como chumbinho, é o mais usado, por ser barato, mas é um produto ilegal e
não registrado pela Anvisa. Esse veneno atua causando uma hemorragia gravíssima no
organismo rapidamente, comprometendo o sistema nervoso central e outros órgãos vitais. O
melhor tratamento é levar o animal o mais rápido possível para o veterinário onde tomara
medicações na veia para tentar reverter o processo do envenenamento. Todas as raças estão
suscetíveis ao envenenamento, não havendo uma mais resistente ou sensível que outra. Podese dizer que por serem cães usados como guarda os Rottweilers e Pitbulls são mais propensos
pois muitas vezes são envenenados para ladrões invadirem ou acabam sendo envenenados e
por estarem sozinhos, não recebem socorro a tempo.
No caso de envenenamento acidental podemos citar como exemplo ingestão acidental ou
errada de medicações, produtos de limpeza e principalmente plantas.
Existem inúmeros medicamentos usados no nosso dia a dia para dores, anti-inflamatórios, e
etc. Que são seguros para humanos e crianças, até mesmo bebês, mas são extremamente
tóxicos para cachorros. Como o Paracetamol, que é muito usada para dor e febre em crianças
pequenas, mas pode ser extremamente letal para cães. O risco de deixas medicações em fácil
acesso pode acabar causando um envenenamento acidental, os Rottweilers e Pitbulls são raças
grandes e bem curiosas, conseguem alcançar lugares mais altos sendo necessário um cuidado
maior com o lugar onde se guarda as medicações. Já a auto medicação, onde o tutor resolve
dar medicações por conta, sem orientação de um veterinário, pode também causar uma
intoxicação séria.
No caso de medicações a ação e sintoma vai variar com o tipo de medicação envolvida.
Podendo dar salivação, diarreia, sonolência, entre outras. A melhor coisa é levar o animal o
mais rápido possível para o veterinário, com a medicação ingerida acidentalmente para o
veterinário identificar o problema e entrar com o protocolo mais adequado. Levando em conta
medicações, também podemos considerar as drogas de efeito recreativo, também possuem
altas chances de intoxicação, sendo a ingestão da maconha a mais comum, nesses casos o
proprietário deve levar o animal para o veterinário e ser honesto contando sobre a ingestão ou
possibilidade de ingestão, sem medo de julgamentos.
Já produtos de limpeza podem causar queimaduras sérias nas áreas onde entrar em contato,
bem como causar insuficiência renal ou hepática. No caso da cândida ou amônia quartearia,
que são produtos mais comuns o animal geralmente tem contato lambendo ou
andando/deitando sobre os produtos. Nos casos de contato, deve-se lavar com água em
abundância o local o melhor possível e levar o animal ao veterinário. No caso de ingestão
deve-se levar o mais rápido possível o animal para o veterinário.
Por fim plantas, são bem comuns e principalmente as ornamentais podem causas intoxicação.
Comigo ninguém pode, costela de Adão, azaleia, copo de leite, samambaia, lírio, espada de São
Jorge e violeta; são comuns nas casas brasileiras e todas são tóxicas, cada uma com um
sintoma diferente. Existem outras plantas que também são comuns e devemos tomar cuidado
e pesquisar antes de adquirir para não correr o risco de intoxicação.
Qualquer sintoma, o proprietário deve levar o animal o mais rápido possível para o veterinário
para diminuir as chances de óbito e possíveis sequelas. Administração de água oxigenada para
induzir o vomito é contra indicado principalmente em casos de ingestão de produtos químicos.
Administração de leite também não é indicada, porque dependendo do ph do veneno, vai
acabar potencializando a ação. A única coisa que pode ser feita além de levar o mais rápido
possível no veterinário e a administração de carvão ativado, mas isso não exclui a ida ao
veterinário com urgência.
Bianca Bennati
Veterinária na clínica SPet São Bernardo do Campo Faria Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Instagram
WhatsApp chat