DOENÇAS PREDISPOSTAS EM ROTTWEILERS
Os rottweilers são mais predispostos a doenças musculoesqueléticas, doenças cardíacas, parvovirose/coronavirose, câncer, oculares e piometra. Essas doenças podem ocorrer desde filhotes a idosos, sendo importante fator na qualidade de vida e longevidade do animal.
As doenças músculo esqueléticas são aquelas que acometem o sistema muscular e/ou ósseo. Sendo as mais comuns displasia de cotovelo, quadril, miosite dos músculos mastigatórios, ruptura de ligamento cruzado e panosteíte.
– A displasia de cotovelo e quadril podem ter origem genética associada, mas o tipo de ambiente, atividade e peso tem ligação direta com o desenvolvimento. Sendo necessário cuidados especiais quanto ao controle de peso, atividade física e tipo de piso onde o animal vive.
– Miosite dos músculos mastigatórios é uma doença inflamatória autoimune que geralmente acomete animais de meia-idade. Sendo caracterizada pela dificuldade de abertura da boca, salivação e atrofia dos músculos. Sendo
necessário terapia imunossupressora para tratamento.
– A ruptura do ligamento cruzado, consiste na ruptura de um ligamento do joelho, geralmente associado ao aumento do peso. Acometendo animais mais velhos, causando claudicação e sensibilidade. Muitas vezes necessitando de cirurgia para tratamento.
– A panosteíte acomete cães jovens, geralmente até 2 anos, causando uma
inflamação e proliferação óssea. O animal apresenta quadros importantes de dor, sendo necessário terapia intensiva. Acometendo, na maioria dos casos, ossos longos, como: úmero, femur, tibia e ulna;
A doença cardíaca mais comum é a estenose aórtica, causando um estreitamento e aumento da pressão intra cardíaca, dificultando o esvaziamento do ventrículo esquerdo. Podendo causar desmaios e morte súbita. Sendo interessante avaliação cardíaca nessa raça mesmo sem apresentar sintomas.
As parvovirose e coronaviroses nos rottweilers causam uma doença mais grave, geralmente associadas e evoluindo para o óbito. Não se sabe exatamente o motivo, mas essa raça é mais suscetível a essas enfermidades sendo necessário um protocolo vacinal diferenciado. Já que a prevenção é a melhor forma de conter o vírus.
Das neoplasias que podem acometer essa raça os osteossarcomas são os mais comuns causando quadros de fraturas e dor. Os fibrossarcomas e linfomas também são comuns.
Nas doenças oculares podemos destacar a catarata como uma das principais, deixando o animal com aquele olho característico. Também podendo ocorrer a atrofia de retina, em animais idosos, levando a uma cegueira completa gradativamente. E por fim já em filhotes o entrópio onde a pálpebra gira e encosta no olho, causando desconforto, secreção, úlceras e se não corrigido/tratado pode causar perda do olho.
Em fêmeas podemos destacar a piometra, uma infecção no útero que pode ocorrer logo após o cio, tendo ou nao monta. Onde o útero se enche de sangue e secreção podendo levar a ruptura, septicemia e morte, se não for tratado o quanto antes. Felizmente a castração é a maneira mais simples e segura de evitar essa infecção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Instagram
WhatsApp chat